Viva a Liberdade de Imprensa, viva a vida

19

No dia em que é celebrado mundialmente a Liberdade de Imprensa, assiste-se no Brasil sucessivos ataques ao pleno exercício da imprensa e de seus profissionais.

Os ataques aumentaram no Brasil em grande medida, por conta do acirramento político que tem prevalecido no país nos últimos anos. O próprio Presidente da República Jair Bolsonaro tem atacado diretamente o pleno exercício da informação.

O efeito disso é a noção tosca de fração da sociedade brasileira poder fazer o mesmo, estimulados, evidente, pelas falas de quem deveria resguardar protocolarmente essas garantias. Inflamados pelo chefe da nação, bolsonaristas protagonizaram cenas lamentáveis contra profissionais da imprensa em Brasília nesse 3 de maio.

Socos, chutes e empurrões sofridos pelo repórter fotográfico Dida Sampaio do Estadão nesse domingo em frente à rampa do Planalto foi o resultado de uma campanha regular que o Presidente Jairo Bolsonaro encampou muito antes da eleição, por demonstrar uma enorme dificuldade em lidar com a crítica e o contraditório, da imprensa, de jornalistas e da oposição, por ora silenciada.

Não é de hoje que a liberdade de imprensa vem sendo alvo de ataques; por incrível que possa parecer, estimulados até mesmo por jornalistas alinhados ideologicamente com o poder reacionário das forças políticas que comandam o governo federal.

O episódio de criminalizar o Jornalista americano Glenn Greenwald, ainda em curso, é um exemplo flagrante de cerceamento do profissional da imprensa. Para isso vale até mesmo o recrutamento de discursos jornalísticos sutis favoráveis à tese de criminalização de informações, no caso em questão, das informações de interesse público obtidos por meio dos grampos clandestinos, e que expuseram as ilegalidades e imoralidades cometidos pelos operadores da lava-Jato, Sergio Moro e Dallagnol no curso das investigações.

A liberdade de Imprensa em tempos de Pandemia

Com o lema” Jornalismo sem medo ou a favor” a ONU celebra o dia Mundial da Liberdade de Imprensa numa clara referência e relevância da informação diante da pandemia que assola o mundo. A imprensa tem sido vital para a conscientização das pessoas e o combate ao Covid-19.

Por outro lado, no Brasil assiste-se uma corrida ao precipício, promovida por setores do governo, e que tem na figura do Presidente Jair Bolsonaro o protagonista principal. Ele conta com apoio de uma fração da sociedade. Nem mesmo o Ministério da Saúde foi capaz de convencer o chefe da nação da gravidade da pandemia.

Talvez por essa razão, o Governo até agora não promoveu e nem divulgou nenhuma campanha de prevenção e combate ao Coronavírus. Toda informação e orientação coube a mídia fazê-lo. O governo tem promovido o oposto, o fim do isolamento social, motivo pelo qual, grande parte da população caminhar rumo ao precipício, sem qualquer tipo de questionamento do porquê dessa condução. O rumo é claro, elevação dos números subnotificados de óbitos.

Para concluir essa pequena análise crônica dos nossos dias, a Associação Brasileira de Imprensa divulgou nota a respeito do dia Mundial da Liberdade de Imprensa. Na nota a entidade destaca. ” Sem liberdade de imprensa, a verdade não aparece”. Viva a liberdade de Imprensa, viva a vida.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui